Página Web



Cidades de Papel: Obrigado por isso, Green!


"Cidades de Papel" é um livro do autor John Green, super conhecido pelo sucesso de "A culpa é das estrelas". Admito que nunca tinha lido nenhum livro dele até então, mesmo com "A culpa é das estrelas" sendo um sucesso estrondoso, eu não li, simplesmente, por não ser um gênero que faz o meu estilo. Porém, "Cidades de Papel" começou a me chamar atenção depois que li algumas frases do livro na internet, parecia ser bem interessante, e a principal temática do livro era sobre "ir embora", o que me ganhou na hora e eu resolvi lê-lo.  

No livro, Quentin Jacobsen é um nerd que está no 3º ano do ensino médio e nutre uma paixão secreta por sua vizinha e ex-amiga de infância, Margo Roth Spiegelman. Com o passar dos anos, Quentin e Margo se afastam, e, mesmo sendo vizinhos, eles nem se falam. Até que um dia, depois de muitos anos, Margo entra no quarto de Quentin pela janela e o convida para uma noite de aventuras regada a muita vingança, já que ela descobre a traição do namorado e que seus amigos, na verdade, não eram tão amigos assim. 

É aí que começa a aventura: a noite de vingança é incrível, Quentin sente que está se reaproximando de Margo depois de muitos anos, e que as coisas vão mudar para melhor por esse motivo. Porém, no dia seguinte à incrível noite, a surpresa: Margo desapareceu, simplesmente foi embora. Mas, o que Quentin não imaginava era que Margo deixaria algumas pistas sobre o seu paradeiro. E é aí que ele resolve iniciar uma investigação para descobrir o paradeiro dela.



A partir daí, o livro é totalmente envolvente, eu não consegui largá-lo até descobrir aonde Quentin chegaria com as pistas elaboradas que Margo havia deixado. Os personagens secundários, Radar, Ben e Lacey também são um ponto forte na história, eles se juntam à missão de Quentin, e todos eles se envolvem nessa incrível jornada de busca. 

Porque Margo foi embora? Essa é a principal questão que ronda a cabeça de todos, e, claro, aonde ela está também. A questão de jogar tudo para o alto e "ir embora" me fascina, e a forma como John aborda isso em "Cidades de Papel" é incrível, envolvente e apaixonante. Sabe aquele livro que você quer conhecer e dar um abraço nos personagens? Foi EXATAMENTE este o meu sentimento durante a leitura do livro. Eu quero ser amigo deles, poxa! HAHA

"Cidades de Papel", definitivamente, é um livro para ler com MUITOS post its do lado, porque com certeza, muitas frases merecem ser anotadas e levadas para toda a vida. Os personagens são envolventes, a história espetacular, a narrativa super gostosa e o sentido de tudo é muito bonito: amor e amizade verdadeira podem mover mundos por um único objetivo, e, principalmente, nos fazer enxergar a vida de outra forma. 



Ver o amadurecimento de Quentin durante a história é... inspirador. Vimos também a importância  de se arriscar mais e se jogar na vida, com aquela vontade gostosa de aprender \o/


"É muito difícil ir embora - até você ir embora de fato. E então ir embora se torna simplesmente a coisa mais fácil do mundo" - Cidades de Papel Preto de copas (cartas)
 
A diagramação é linda, assim como a capa, depois que você ler a primeira página, não conseguirá mais parar. O livro, assim como aconteceu com "A culpa é das estrelas", vai virar filme. O lançamento acontece aqui no Brasil no dia 16 de Julho, o 1º trailer já saiu e tá LINDO DEMAIS da conta...


Já pode querer o filme AGORA? *-* ♥

O livro é publicado aqui no Brasil pela editora Intrínseca, tem 368 páginas e é leitura obrigatória para quem gosta de histórias de renovação, novas formas de ver a vida e sentimentos verdadeiros.

Pra quem  já leu, pode comentar aqui em baixo o que achou, e pra quem ainda não leu: CORRE! Valerá muito a pena :)




Postar um comentário