Página Web



Ao amor de uma noite!


Eu lembro do seu cheiro, do seu beijo, do seu sorriso, e lembro, com muita nostalgia, do jeito que você segurou a minha mão. Eu estava lá, dançando na pista, tentando esquecer dos meus problemas e das mil pendências que eu teria que resolver no dia seguinte; minha cabeça estava cheia. Eu não queria me preocupar e nem pensar em nada naquele momento, só queria sentir a música entrar em mim e deixar o meu corpo se mover no ritmo dela.

Foi ali, quando eu menos esperava, no auge do meu encontro comigo mesmo, que você surgiu no meu lado. Trocamos meia dúzia de palavras meio apertados, devido à multidão, e,  quando resolvi virar de frente pra te ver e conversar melhor, não precisou de mais nada: a gente se olhou, você sorriu, eu sorri, e palavra nenhuma foi necessária, a gente sabia o que queria, um ao outro. E, aí, nós andamos na mesma direção, para causar o nosso encontro e o encontro dos nossos lábios.

A música embalou todos os nossos momentos naquela pista de dança que parecia nem existir mais, era só eu e você e um sentimento enorme de gratidão ao destino. Ele é muito sábio, faz as coisas certinhas, colocou você na minha vida para provar que tudo tem uma recompensa. É porque, tempos atrás, as coisas já tinham dado bastante errado para mim nessa mesma pista de dança, mais uma decepção, mais um arrependimento... e, agora, você estava ali, para me provar que o destino compensa as desilusões pelas quais passamos.

Em meio as luzes que piscavam, eu via o seu sorriso pra mim, em meio as pessoas que nos cercavam, eu sentia o seu abraço forte me envolvendo, e, em meio a todos os corpos, luzes e copos, eu só queria aproveitar aquele momento. Porque, meu velho, esse destino é FODA DEMAIS!

Obrigado por ter me pegado pela mão e me levado pelos lugares que você tinha que ir na festa; senti que eu era importante. Ah, valeu pela água também, eu realmente estava com sede. Quando sentamos no sofá, você me olhou e simplesmente me abraçou, sem nenhum motivo pra isso, eu levantei a cabeça e dei um sorriso: eu gosto muito de saber que ainda tem gente legal nesse mundo.

A noite acabou, a balada acabou e as nossas horas juntos também tiverem que acabar. E talvez por culpa do álcool, olha só, nós nem trocamos contatos. Eu poderia estar lamentando agora, mas, ah, nem estou.
Pelo contrário, eu to sorrindo, é bom saber que eu tive uma noite tão maneira, que eu vi, mais uma vez, o quanto a vida vale a pena e que ainda existe pessoas que se importam e que são massas demais, como você,  no mundo. Ao menos por uma noite, você foi a pessoa perfeita pra mim, e isso já vale muito, esses momentos que se eternizam, sabe?

Não lamento, porque, como eu disse neste texto, o destino é FODA DEMAIS, e se for pra ser, a gente vai se esbarrar por aí de novo. Seja em alguma festa, num café aconchegante ou em um ocasional esbarrão na rua numa segunda de manhã. Se for pra ser, vai ser. Boto fé no destino, na vida e em pessoas como você: amor de uma noite ;)




Postar um comentário