Página Web



Faça amor, não faça jogo: de suspirar enquanto lê!

Confesso que, quando vi pela primeira vez o livro "Faça amor, não faça jogo", eu julguei o livro pela capa, e tive vontade de ler porque a achei linda. E, assim como a capa, a escrita do autor e blogueiro Ique Carvalho também me encantou. 

O livro fala sobre o AMOR, em todas as suas formas, seja entre duas pessoas ou nos laços familiares. O autor narra várias situações em que os sentimentos estiveram a flor da pele para descrever os aprendizados que teve, vivendo o amor ou a busca por ele.

"Faça amor, não faça jogo" é todo construído por crônicas, o que é bem bacana, porque, além de deixar a dinâmica de leitura bem rápida, deixa o leitor mais próximo dos personagens e acontecimentos, causando uma identificação com os casos contados pelo autor ao longo de suas pequenas histórias.

Cada "capítulo" do livro é bem curtinho, uma vez que é  construído por crônicas, e, em cada uma delas, Ique retrata, de uma forma genial e, ao mesmo tempo, leve, seus aprendizados com situações nas quais o amor esteve presente.

Ele nos mostra como os "joguinhos" do amor são tolos e só nos fazem perder tempo e nos enganar. Se você quer falar, fale; se quer tentar, tente. Se não der certo, ao menos você tentou, aprendeu e conquistou mais uma história para contar no futuro. 


No livro, também acompanhamos como o amor de um pai por um filho, da forma mais natural possível, pode ser lindo e se manifestar das maneiras mais simples e bonitas. As relações familiares, narradas no livro, são emocionantes e nos fazem refletir sobre a vida, assim como repensar nossas prioridades e desejos mais profundos.

O legal deste livro é que, mesmo sendo construído por crônicas, todas elas se ligam de alguma forma, e isso mantém o interesse na leitura. Ique também usa muito do artifício das rimas nos versinhos de seus textos, o que os deixam super gostosos de ler; várias vezes, durante a leitura, eu respirava fundo com algum versinho bacana, e um bem-estar tomava conta de mim. ♥

Antes de iniciar cada capítulo, o autor indica uma MÚSICA para você escutar enquanto lê o trecho, e isso é SEN-SA-CIO-NAL; muito bacana viver a experiência de como as coisas se encaixam e como a música também é uma forma de expressar nossos sentimentos. 


O livro nos mostra que o amor não deve ser algo complicado, ou cheio de regrinhas. Muito pelo contrário, Ique Carvalho nos lembra que o amor tem que ser leve, lugar em que o livre-arbítrio prevaleça e o "querer" seja possibilidade de "poder". Para tal, basta seguir o coração, aceitar situações novas e entender o real significado de cada acontecimento.

O final do livro é incrível, faz você se envolver com a situação de uma forma inevitável e torcer MUITO para o amor sempre prevalecer.

Amor é coisa linda (e boa) demais, e, por isso, vale muito a pena ler este livro. "Faça amor, não faça jogo" é publicado pela editora Gutenberg, tem 224 páginas e, por ironia, ou não, é um livo super amável! Rs




Postar um comentário