Página Web



Mesa de Bar: Quem paga a conta?


É super comum nos primeiros encontros rolar aquele momento tenso: "Quem paga a conta?", tem gente que sua frio só de pensar nessa situação. Mas calma gente, pra tudo nessa vida se dá um jeito. Por isso, o tema da semana é:

O pavor de quem paga a conta no 1º encontro. Como lidar?

Vem ver as dicas das meninas...







Depois da pior fase do primeiro encontro, conhecida também como “com que roupa eu vou?”, a famosa dúvida de “quem paga a conta?” atormenta a cabeça dos envolvidos. O ideal, ou seja, aquilo que talvez fosse justo ou honesto, seria dividir os gastos ou cada um pagar a sua parte – aquilo que consumiu - afinal eu sou dono (a) das minhas próprias despesas. Pelos relatos de amigos e amigas, hoje “rachar a conta” é muito comum e está super em alta, como diz a minha avó (juro, ela usa demais essa expressão! Hahaha).

Antigamente o homem se via na obrigação de pagar a conta, pelo menos no primeiro encontro. Isso pra mim é um ato atencioso por parte homem, porque ao pagar a conta, a mulher se sente “única”, porque imagina se ele é um garanhão e resolve pagar tudo para todas? Provavelmente ele iria à falência. Eu, se fosse homem, faria questão de pagar tudo, pelo menos no primeiro encontro. Isso é muito vintage, eu sei, mas infelizmente uma parte de mim ainda é conservadora e acha uma atitude dessas admirável. Há mulheres que se sentem ofendidas quando o homem se oferece para pagar a conta, e eu realmente não entendo o porquê disso. Tá, vai, tudo bem que a mulher hoje em dia tem seu espaço no mercado de trabalho, sua independência financeira e blá blá blá, mas no final das contas é só uma conta, um valor. Talvez as preocupações mais terríveis sejam aquelas que surgem no final do encontro, mas vamos deixar essas questões para uma próxima conversa...






Pensando na lógica de um "primeiro encontro", no qual há o flerte, as conversinhas, afinidades, o agendamento do compromisso, a insegurança substituída pela esperança, a ansiedade pré-encontro, o "oi" desconcertado, os mil assuntos que fluem (ou não fluem, mas vamos nos manter observando o mundo pela ótica do otimismo), o cardápio (espero que seja sempre pizza! ;p ), as bebidinhas, a música ambiente, aquele tão esperado primeiro beijo, as mãos dadas e a triste hora da despedida, o derradeiro momento de pagar a conta não deveria, definitivamente, ser alvo de tanta mística e especulação.

Há que se pagar a conta. Inevitável e invariavelmente, tudo o que compramos nessa vida vale dinheiro. Sendo assim, alguém tem de fazê-lo, e, espero eu, sem paranoias. Aceitar uma gentileza é normal, fazer uma gentileza é normal também e cogitar a possibilidade de dividir, então, ó: super sussa. Aliás, "dividir" não é o máximo propósito de um encontro? Deixem que o último ato do encontro seja o que ele de fato é: o necessário irrelevante.

Conclusão: Não, gente, não. Pavor é pra se investir em coisas horrendas, enfraquecedoras ou com alto potencial de destruição. "Conta" não conta. ;)






Como diz aquele ditado antigo “A primeira impressão é a que fica”, e nos relacionamentos não é diferente. Nunca fui em encontros contando que a outra pessoa fosse pagar a conta, afinal, antes do primeiro encontro você não a conhece muito bem, na maioria dos meus primeiros encontros eu dividi a conta, e, sinceramente, não achava muito romântico, mas isso depende de cada pessoa, de como o encontro foi e qual a sua intenção com ele.

Sei que tem toda aquela história de machismo e de direitos iguais, mas às vezes percebo que a outra pessoa está apenas querendo ser gentil e educada, não me importo de aceitar que o homem pague a conta, assim nos próximos encontros tenho o direito de pagar também. Mas o bom mesmo é aproveitar o primeiro encontro, dar uma chance para conhecer a pessoa sem ficar com esse pavor de quem vai pagar a conta.






Bom, eu acredito que isso não seja um "pavor"... É só uma questão de dúvida, e o fato de quem vai pagar a conta está muito ligado ao que a sociedade chama de "cavalheirismo", o que eu acho muito errado. Em minha opinião, o cavalheirismo vai muito além de pagar uma conta no 1º ou em qualquer encontro... É claro que qualquer mulher espera que o homem pague a conta no primeiro encontro, eu também acho que isso deveria acontecer, por que na maioria das vezes são eles que convidam, né? O fato de pagar, pra mim, está ligado a quem convida. Se a mulher convida, acredito eu que isso é raro, ela paga. E vice-versa.

A minha dica para as mulheres é marcar de sair só quando estiver com uma grana a mais, pra não passar por uma situação chata, por que nunca se sabe, né?! Jamais saia sem dinheiro, independente de qualquer coisa! Se foi ele quem te convidou, por uma questão de educação, na tão temida hora de pagar a conta, se ofereça para DIVIDIR o valor total. Se ele disser que paga tudo, bom, se ele aceitar sua proposta de dividir, bom também. Se foi você que o convidou, tome a atitude de pagar o valor total, e veja o que ele irá fazer. Até semana que vem! 

E aí? Concordou com quem essa semana?! Conta pra gente nos comentários ;)

Semana que vem elas voltam com um novo tema. Até lá!




Postar um comentário