Página Web



Eu admito saudades!


Tá, eu admito, vez ou outra eu ainda me pego pensando em você. E é aí que a saudade bate e o peito se enche com um sentimento que me faz respirar fundo pra aliviar. Depois que eu solto o ar, um sorriso enorme toma conta do meu rosto. Nossos momentos foram tão únicos e gostosos, sabe? Acho que ninguém nesse mundo seria capaz de não sentir falta de vez em quando.

Quando eu saio do banho e entro no meu quarto, me lembro de você na minha cama, me olhando com aqueles olhos carinhosos e brilhosos. Quando mexo no meu celular, vez ou outra, me deparo com a nossa foto que tiramos naquele sábado à tarde no verão, enquanto nós brincávamos feito duas crianças na piscina. Talvez eu devesse apagar a foto, mas quer saber? Eu não sofro por isso, a saudade que eu sinto hoje é gostosa de sentir, não me faz sofrer mais.

Falando na piscina, quando passo por ela ainda me lembro das nossas pegações dentro dela, como isso provava o quanto a nossa conexão era forte, e não só de jeitos e sintonia, a nossa conexão sexual sempre foi incrível. E, tá, eu admito, também sinto falta dela.

Quando toca as músicas da sua cantora favorita nos lugares em que estou, me pego pensando em como seria se você estivesse ali comigo. Talvez, nós dançaríamos muito juntos, até as pernas cansarem. Ou, talvez, nós só nos abraçássemos para curtir o momento e eu respiraria fundo pra sentir o seu cheirinho que eu tanto gosto.

Às vezes, quando vou ao cinema, me lembro daquela vez em que combinamos de assistir a um filme e quando você chegou eu fiquei te olhando vindo na minha direção e pensando em como eu era um cara sortudo por ter você na minha vida. Era muito gratificante, de verdade.

Quando pego nos presentes que você me deu, eu me lembro do momento em que você me entregou cada um deles, com aquele seu jeitinho cheio de carinho e querendo ver minha reação. Também me lembro perfeitamente de quando você tirou sua própria pulseira, que todo mundo amava e elogiava, e me deu dizendo que era pra eu me lembrar sempre de você. E admito, se o objetivo era realmente esse, funcionou.

Alguns podem dizer que eu ainda estou preso ao passado, falando de como sinto falta de tudo isso, mas eu digo que não. Não mesmo, eu deixei passar, cada um foi pro seu lado, pelos motivos que nós bem conhecemos, e sabemos que foi melhor assim.

E vamos combinar uma coisa: que seja internado o louco que disser que todo o tipo de saudade é ruim. Porque a minha saudade é boa. É daquela que me faz ver como eu já vivi momentos incríveis na vida, que me mostra como eu também fui importante para alguém e que me faz concluir que passou, acabou, e que as pessoas valem a pena, a vida vale a pena e que você valeu muito a pena.




Postar um comentário