Página Web



Mesa de Bar: O casamento igualitário


Depois de um pequeno hiato a coluna "Mesa de Bar" está de volta. E para marcar o retorno da 1ª temporada da coluna, o tema escolhido movimentou as redes sociais nos últimos dias. Foi aprovado pela suprema corte dos EUA, o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Tal decisão ganhou noticias em todo o mundo, e até comemoração na internet com a hashtag #LoveWins e fotinhas coloridas por todo o Facebook.

Por isso, o tema da coluna esta semana é:

O casamento igualitário 

Vamos ver o que as meninas falaram sobre este tema - 







Essa semana, a definição da palavra "casamento" sofreu uma modificação no dicionário Michaelis online - posteriormente a nova definição deverá compor as próximas edições impressas. De "união legítima entre homem e mulher" o conceito passou para "ato solene de união entre duas pessoas". Sem dúvida, é um tapa na cara do preconceito homossexual. A hashtag "LoveWins" criada pelo atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ganhou o mundo e as fotos coloridinhas infestaram as redes sociais.

Como qualquer relacionamento hétero, o homo afetivo é antes de qualquer coisa, uma relação à dois. Você pode não gostar de ver dois homens ou duas mulheres se beijando; este é um direito que você tem, afinal, ninguém é obrigado a gostar de tudo e todos. Agora, o que o seu vizinho, colega de trabalho, amigo ou seja lá quem for faz entre quatro paredes e com quem, não é problema seu. Mas, se isso te incomodar profundamente ou se fizer diferença na sua vida, procure um médico porque você não está bem. #LoveWins #ORespeitoAcimadeTudo







Sobre o casamento igualitário, antes de qualquer coisa, é necessário dizer: estamos um passo mais próximos da vida numa sociedade minimamente coerente. É difícil conjecturar sobre uma conquista quando, na verdade, deveria se tratar de um princípio básico para a nossa coexistência. Numa realidade ideal, a liberdade para se relacionar afetivamente deveria ser um direito garantido a qualquer um desde os primórdios.

Pensando juntos, fica fácil entender: quais são os elementos básicos para compor uma relação feliz? Sintonia cósmica. Gostos semelhantes. Afinidade. Paixão. Disposição. Atração física. Agora, digamos alto e com honestidade: em qual desses elementos o gênero faz diferença? ¯\_(ツ)_/¯
Pra terminar, uma continha daquelas que eu adoro: Se relacionar emocional e afetivamente é trabalhar com razão e emoção. Razão e emoção são cérebro e coração.  Cérebro e coração são órgãos comuns a seres humanos femininos e masculinos. Acabou a equação. Ponto pro amor.








Já no começo desse texto, quero deixar minha opinião bem clara sobre o tema: Sou completamente a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Desde que a suprema corte dos EUA aprovou o casamento homo afetivo, esse assunto se tornou o principal nas redes sociais, e claro que a sociedade está dividida sobre ser contra ou a favor. Algumas pessoas são tão mal amadas que querem julgar onde sobra amor, mas já era de se esperar algo assim. Nós vivemos em um mundo onde as pessoas estão acostumadas a tomar conta da vida alheia e por mais que a nova geração seja considerada antenada e mais realista, ainda temos uma boa parte de pessoas alienadas andando por ai, aqueles que gostam de crucificar, julgar e viver nos rótulos homossexual/heterossexual. Isso pra mim é um atraso, as pessoas querem tanto definir o outro que esquecem que somos todos seres humanos.


Quase todos os dias eu vejo pessoas falando por ai sobre querer um mundo mais justo e mais humano, o que me deixa confusa, é como conseguir um mundo assim se algumas dessas pessoas querem até se intrometer nos meus sentimentos? A aprovação do casamento homo afetivo nos EUA não mostra apenas que o amor venceu, mostra que o mundo está evoluindo, que nós podemos ser livres nas nossas escolhas e que o governo e a religião não têm direito de julgar a nossa vida com base no que sentimos ou no que queremos para nossas vidas. O que realmente importa é ser feliz e estar com quem nos faz sentir bem. Você não se apaixona por um homem ou uma mulher, você se apaixona por uma pessoa, independentemente da idade, sexo ou cor. 







A sociedade ainda trata o casamento igualitário como uma coisa anormal e faz disso um tabu em pleno século XXI. Em minha opinião, todos os lugares do mundo já deveriam permitir o casamento entre duas pessoas de mesmo sexo. A questão é que as pessoas fazem as escolhas e as leis só fazem com que isso seja formal e que estas pessoas tenham o mesmo direito das pessoas heterossexuais. Para eles, uma lei é muito mais do que importante, oficializa a união. Para mim, não faz muita diferença, pois eu reconheço que esses relacionamentos são como quaisquer outros. 


O que realmente me incomoda, e não é somente com os homossexuais - digo mais uma vez: NÃO É SOMENTE COM ESTES -, são as demonstrações de afeto em público, se posso assim achar. "Demonstrações de afeto em público" é muito pouco para o que realmente é. No Português claro, os agarramentos em público devem ser evitados em quaisquer tipos de relacionamentos. É muito chato sair com a família e a cada esquina ter um casal - seja hétero ou homo - se agarrando como se estivessem em casa ou até mesmo no motel. Vocês, leitores, sabem que não estou sendo nem um pouco exagerada. Estou sendo sutil até demais. Eu quis tocar nesse assunto por que com as leis sendo aprovadas, muitos de casais vão querer "mostrar ao mundo" a conquista tão almejada, e podem perder o senso ao querer mostrar demais. Ter um documento que permite oficializar a união acho que já é uma forma muito boa de mostrar ao mundo o quanto se amam e o quanto são felizes por estarem juntos.

É isso pessoal \o/  A coluna voltou com um ótimo tema e com bons textos. Não é?! O que podemos concluir com tudo isso, é que o amor SEMPRE vence, e sempre é o mais importante. Independente de qualquer gênero ;)




Postar um comentário