Página Web



Não deixe ninguém entrar se a porta não está aberta!


A porta do coração deveria funcionar como a porta de uma casa: só entra alguém quando nós realmente queremos. Acontece que gostar é fácil, entende? Basta um carinho aqui, um cafuné ali, e um olho no olho que a gente já está gostando. Mas muitas vezes é só isso: gostar e pronto. Nada mais, não queremos compromisso, não queremos flores na porta de casa e nem alianças nos dedos. Se teve uma coisa que eu aprendi nessa vida, é que você pode facilmente (e verdadeiramente) viver momentos muito especiais com alguém sem que ela precise ser o amor da sua vida e ficar ao seu lado para sempre.

Mas vocês sabem, quando falamos de sentimento o assunto é delicado, é como uma taça de cristal na beira de uma mesa escorregadia: se cair, quebra. Nós podemos estar vivendo nossos dias na mais convicta plenitude do que é “estar de boa”, sem compromisso e sem alguém pra chamar de “meu”. Mas quando aparece alguém, não tem mal nenhum em dar uns beijos e aproveitar momentos bons de vez em quando. Acontece, que nem sempre a outra pessoa está na mesma vibe, ela pode estar querendo entrar no seu coração exatamente quando a porta dele está fechada. É como dizem por aí: To fechado pra balanço.

A outra pessoa chega, dando todo carinho e amor do mundo, cheia de boas intenções, enquanto nós estamos aqui, tentando arrumar as coisas nas casinhas dos nossos corações que já está bagunçada faz tempo. E a outra pessoa, coitada, não tem culpa nenhuma de nossa bagunça, não tem culpa nenhuma em não querermos estar com alguém e nem culpa nenhuma, em ela, querer estar com alguém. A gente percebe que ela quer, sabemos que não queremos, mas vamos deixando ficar, né? A carência sempre fala mais alto, o aconchego de ter alguém por perto supera a verdade que deveríamos ser naquele momento.

Mas pera lá, sempre é hora de arrumar as coisas antes de ferir alguém. Se você sabe que não vai pra frente e percebe que a outra pessoa quer o oposto de você, é hora deixar a carência de lado, pensar menos em si e valorizar alguém especial e que tem amor pra dar. É neste momento que devemos achar nossa coragem no meio da bagunça e trabalhar com a honestidade.

A outra pessoa não merece ser iludida, não merece esperar por algo que você sabe que não vai acontecer. Deixe-a livre para voar o mundo e encontrar alguém pra dividir todo esse amor. Seja sincero e deixe-a ir, é mais sincero com ela, com você e com o amor. E de quebra, ainda elimina qualquer oportunidade de você virar o “filho da puta” da situação.

A sua hora chega depois, no tempo certo, no dia certo, no amor certo e com a pessoa certa. Mas quando temos certeza do que queremos, e, nesse caso, do que não queremos, o certo é deixar a pessoa ir para as boas vibrações entrarem. É fazendo coisas boas (e sendo gente boa) que atraímos coisas boas.

Relaxa, meu amigo. Deixe alguém dividir o seu amor por aí. Uma hora, depois de organizarmos toda a bagunça dentro de nossos corações, nós abrimos a porta e deixamos ela aberta, com um sorriso no rosto e prontos para dizer “Seja bem-vindo, amor”. 




Postar um comentário